Atualizado 12/01/2018

"Deus Salve o Rei": Bruna Marquezine interpreta sua primeira vilã da carreira

Atriz interpreta a personagem Catarina na novela da Globo

Bruna Marquezine encara a primeira vilã de sua carreira em Deus Salve o Rei (RBS TV, 19h35min). Sua personagem, Catarina, sucessora do rei de Artena, Augusto (Marco Nanini), será responsável pelos maiores atos de maldade da trama medieval de Daniel Adjafre. Ambiciosa, tem em mente romper o acordo, que prevê troca de água por minério de ferro, feito por seu pai com Montemor, o outro reino da novela. Antes de colocar o plano em ação, a princesa precisa se livrar do Marquês de Córdona, Istvan (Vinícius Calderoni), a quem foi prometida em casamento.

– Como é uma trama muito distante da nossa realidade, precisamos mergulhar completamente. Não dá para tirar uma folga e voltar para gravar, porque aí você já se distanciou desse universo. Se o elenco não tiver alinhado, o público não acredita – observa a atriz.

Na trama, Catarina baterá de frente com o pai em relação a questões diplomáticas do reino, mas saberá a hora de recuar para manter as aparências. Todavia, ela terá ajuda para colocar seu plano de expandir Artena em prática. Ao conhecer Constantino (José Fidalgo, na foto acima com Bruna), o duque de Vicenza, a princesa encontra o parceiro ideal. Mais do que aliados, os dois serão amantes. O ator português faz sua estreia em novelas no Brasil.

– Estamos descobrindo os personagens durante o processo. Acho que é muito legal quando as pessoas acreditam num casal, porque é isso que queremos – afirma a atriz.

Nas cenas que vão ao ar neste sábado (13), Catarina se mostrará encantada com a qualificação do exército de Constantino e irá questioná-lo sobre uma aliança com Artena.

Aos 22 anos, Bruna conta que já passou por muitas transformações e que continuará mudando. Ela não nega que as críticas recebidas já a afetaram muito, mas que está procurando alimentar a sua espiritualidade. Como vive no meio televisivo desde que estreou como a Salete, em Mulheres Apaixonadas (2003), cresceu aos olhos do público e conta que achou cruel, muitas vezes, as cobranças que sofreu. A jovem diz viver agora uma fase de autoconhecimento.

Fonte: GAÚCHA ZH
© Copyright 2017 - Rede Nossa Rádio, Todos os direitos reservados Desenvolvido por HZ Soluções