Atualizado 23/01/2018

MEC adia para 29 de janeiro prazo de adesão de faculdades ao Novo Fies

Prazo, que acabaria no último dia 19, está formalizado em portaria do MEC publicada nesta terça-feira

O Ministério da Educação (MEC) adiou para o próximo dia 29 de janeiro o prazo final para a adesão de Instituições

de Ensino Superior (IES) ao novo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). O prazo, que acabaria no último dia 19, está formalizado em portaria do MEC publicada nesta terça-feira, no Diário Oficial da União (DOU).

 

"As mantenedoras de IES interessadas em participar do processo seletivo do Fies e do P-Fies (Programa de Financiamento Estudantil) referente ao primeiro semestre de 2018 deverão assinar termo de participação no período de 3 de janeiro de 2018 até as 23 horas e 59 minutos do dia 29 de janeiro de 2018, no qual constará a indicação das modalidades de oferta de vagas que desejam participar e a proposta de oferta de vagas", diz a portaria.

 

O ato também permite que o rol de agentes financeiros operadores de crédito no âmbito do Fies seja complementado, o que deve ocorrer no período de 30 de janeiro a 6 de fevereiro de 2018.

 

Embora a oferta de vagas no novo Fies seja considerada de pouco impacto financeiro para as instituições privadas, o cronograma vem sendo acompanhado pelo setor. Os aditamentos do Fies antigo, ou seja, contratados antes das mudanças aprovadas no Congresso no ano passado, serão realizados após o encerramento do cronograma de adesão do Fies novo. As empresas não são obrigadas a aderir ao Fies novo para manter os contratos de alunos que estudam com financiamento no modelo antigo.

 

Este ano, o Fies passou por uma mudança de regras e dividirá suas vagas em três modalidades. A primeira é um modelo mais parecido com o de anos anteriores: serão oferecidas 100 mil vagas, a juro real zero, a estudantes com renda familiar per capita mensal de até três salários mínimos.

 

As modalidades dois e três destinam-se a estudantes com renda per capita mensal de até cinco salários mínimos. O funding no Fies 2 vem de fundos constitucionais. Para o Fies 3, existe ainda a possibilidade do uso de recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Fonte: JORNAL CORREIO DO POVO
© Copyright 2017 - Rede Nossa Rádio, Todos os direitos reservados Desenvolvido por HZ Soluções