Atualizado 16/02/2018

Papa critica desprezo contra empregadas domésticas e pede salário justo

Francisco pediu para se pensar no comportamento que cada um tem com estas pessoas nas casas e instituições onde trabalham diariamente

O papa Francisco criticou nesta sexta-feira aqueles que desprezam as empregadas domésticas, não lhes pagam o salário justo ou lhes dão as férias que lhes correspondem, e pediu uma reflexão geral para analisar como a sociedade trata estas pessoas.

  •  

"Penso em tantas empregadas domésticas que ganham o pão com seu trabalho: humilhadas, desprezadas", lamentou Francisco na homilia que pronunciou esta manhã na missa matutina que celebra diariamente em sua residência, a Casa Santa Marta.

O papa contou uma lembrança de quando era criança e disse lembrar como na casa de um amigo viu a mãe deste esbofetear a mulher que limpava a casa.

"Nunca esqueci isso", ressaltou, ao mesmo tempo que pediu uma reflexão sobre o tratamento reservado a estas pessoas.

"Alguém pode dizer 'Não, padre, eu nunca a esbofeteei'. Mas como você a trata? Paga o justo? Dá as férias pertinentes? É uma pessoa ou um animal que te ajuda em casa?", questionou.

Neste sentindo, pediu para se "pensar" no comportamento que cada um tem com estas pessoas nas casas e instituições onde trabalham diariamente e advertiu sobre a necessidade de mostrar coerência cristã e comportar-se bem com os demais.

"Não se pode por um lado falar com Deus e, por outro, falar com o diabo", advertiu.

Fonte: ÉPOCA NEGÓCIOS
© Copyright 2017 - Rede Nossa Rádio, Todos os direitos reservados Desenvolvido por HZ Soluções