Atualizado 03/06/2019

GDF vai gastar R$ 775 mil com gramado do Mané Garrincha; estádio arrecadou R$ 232 mil em 2019

Governo planeja repassar estrutura à iniciativa privada. Licitação ainda não tem previsão de abertura.

O Governo do Distrito Federal prorrogou, por mais um ano, contrato de manutenção do gramado do Estádio Nacional Mané Garrincha. Em 2019, o custo será de R$ 775 mil. O valor é mais de três vezes maior que a arrecadação do estádio nos primeiros quatro meses do ano, que foi de R$ 232.011,22.

A responsável pela manutenção do gramado será a empresa Greenleaf Projetos e Serviços S/A, que realiza o serviço desde 2016. O novo acordo fechado com a Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) é o quarto termo aditivo do contrato fechado naquele ano, também com o custo de R$ 775 mil.

Segundo a Novacap, “a renovação contratual é prevista em lei por se tratar de um serviço contínuo de manutenção, podendo ser renovado por até cinco anos”. A empresa afirma que o contrato foi assinado em abril de 2016 com um desconto de quase 30% em relação ao valor estimado e que, desde então, não houve nenhum reajuste ao valor acordado.

Ainda de acordo com a companhia, a renovação foi feita com base em pareceres que consideraram o acordo vantajoso. “Como não há motivo legal para que o contrato com a empresa seja desfeito, a administração pública entende como vantajoso manter as condições atuais, visto que, em caso de nova licitação, será aplicado reajuste dos preços”.

O contrato prevê a “manutenção preventiva e corretiva do gramado do campo de futebol e seus respectivos sistemas de irrigação e drenagem, com fornecimento de materiais, equipamentos e mão de obra no Estádio Nacional de Brasília - Mané Garrincha”.

 

Alto custo, baixa arrecadação

 

Além dos custos com o gramado, as despesas mensais do estádio incluem contas de energia, água, limpeza, reposição de peças, manutenção, entre outros. Segundo a Secretaria de Esporte e Lazer do DF, por mês, os gastos com a estrutura chegam a R$ 700 mil.

No sentido contrário, a arrecadação ainda é baixa. De acordo com a pasta, entre janeiro e abril deste ano, o aluguel do estádio para eventos trouxe pouco mais de R$ 232 mil em receitas. O gasto estimado no período foi 12 vezes maior.

Em janeiro, o estádio foi palco de quatro festas. Já no mês seguinte, recebeu cinco jogos de futebol e um evento. O mês mais movimentado foi março, quando ocorreram no local sete jogos de futebol e três festas.

Em abril, foram duas partidas e três eventos. Neste mês, o principal evento a ser realizado no local é a Campus Party Brasília, que ocorre entre os dias 19 e 23 de junho.

Concessão à iniciativa privada

 

Diante dos prejuízos enfrentados com a estrutura do estádio, o GDF pretende conceder a administração do espaço à iniciativa privada. No ano passado, a licitação chegou a ser aberta, mas foi suspensa por decisão do Tribunal de Contas do DF.

Em fevereiro, no entanto, a Corte permitiu a continuação do processo. A Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap), porém, ainda não anunciou uma nova data para a reabertura da licitação.

O contrato, que tem duração de 35 anos, prevê que a empresa selecionada fique responsável pela gestão, manutenção, modernização e operação/exploração da estrutura, batizada de Arenaplex no projeto.

Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.

Fonte: G1.GLOBO
© Copyright 2017 - Rede Nossa Rádio, Todos os direitos reservados Desenvolvido por HZ Soluções