Atualizado 03/04/2019

Inter e River Plate se enfrentam hoje em duelo grandioso pela Libertadores

Colorado, que coleciona duas vitórias na competição, vai para a próxima fase se bater time argentino

No caldeirão que se transformará o Beira-Rio na noite desta quarta-feira, todos os ingredientes de uma grande partida de futebol estarão presentes: enorme presença de torcedores, rivalidade e duas pesadas camisas. Mas há mais. Por motivos diferentes, Inter e River Plate precisam dos três pontos em jogo, dando contornos quase decisivos para o encontro que começa em horário inusitado: às 19h15min.

 

O time colorado, após duas rodadas da fase classificatória da Libertadores, coleciona duas vitórias. Se bater os argentinos, deixa a classificação para a próxima fase encaminhada. O River vive uma situação bem diferente. O atual campeão da América precisa conquistar pontos no Beira-Rio, pois ainda não venceu na competição. Para completar, desembarcou nessa terça à noite em Porto Alegre com cinco importantes desfalques. 

As ausências do lateral Casco, do meia Juan Quintero, do atacante Scocco e do volante Palacios já eram programadas. Porém, no final de semana, Marcelo Gallardo também perdeu o goleiro titular Armani, considerado uma das principais peças da equipe. Ele será substituído por Germán Lux, que tem experiência de grandes jogos, mas não atravessa uma boa fase.

Os desfalques, porém, não diminuem o tamanho do adversário. E quem opina é D’Alessandro, um verdadeiro especialista quando o assunto é River Plate: “É o adversário mais difícil que temos na nossa chave. O River conquistou coisas importantes nos últimos anos e, sem dúvida, é o melhor time da América neste momento. É um confronto que dá muita vontade de jogar, pois é uma partida muito importante para o nosso futuro na Libertadores. Uma vitória nos deixaria muito perto das oitavas de final”, afirma o meia, que deve começar o jogo entre os titulares, no lugar de William Pottker.

D’Alessandro, que começou a carreira no River e, inclusive, voltou a vestir a camisa do clube de Buenos Aires em 2016, no pior ano da história do Inter, disse que, se marcar um gol, evitará comemorar. “Para mim, profissionalmente, (2016) foi um ano espetacular. Voltei a jogar pelo River e fui campeão. Mas fiquei muito triste pelo momento delicado pelo qual passou o Inter, que caiu para a para a Série B. Foi a fase mais triste da história do clube”, continuou o jogador, que concedeu uma concorrida entrevista ontem à tarde.

A torcida esgotou os ingressos para a partida em 45 minutos e deverá lotar o Beira-Rio. A direção colorada, inclusive, nutre a expectativa de quebra do recorde de público do estádio pós-reforma, que atualmente é de 45.263. “Vai ter quase 50 mil pessoas aqui. Temos que ser inteligentes e fazer um grande jogo”, finaliza D’Alessandro, o personagem do jogo − pelo menos até a bola rolar.

Libertadores 2019

Inter

Marcelo Lomba; Zeca; Moledo; Cuesta; Iago, R; Dourado; Edenilson; Patrick; D'Alessandro; Nico López, Rafael Sóbis. Técnico: O. Hellman

River Plate

Germán Lux; Montiel; Quarta; Pinola; Anglieri; Enzo Pérez; Ponzio; Ferreira; Nacho Fernández; Suárez; Lucas Pratto. Técnico: M. Gallardo

Árbitro: Esteban Ostojich (URU)

Local: Beira-Rio

Início: 19h15min desta quarta-feira

 

Fonte: JORNAL CORREIO DO POVO
© Copyright 2017 - Rede Nossa Rádio, Todos os direitos reservados Desenvolvido por HZ Soluções